O que é apendicite?

Imagem relacionada

A apendicite não tem uma causa clara, mas certas situações usuais levam a sua inflamação, como a obstrução por gordura, fezes e a infecção gastrointestinal.

Nos dois casos que levam a inflamação, existe uma bactéria presente no apêndice que começa a se multiplicar, causando um inchaço que começa a gerar pus na maioria dos casos. Caso as inflamações não sejam tratadas, pode acontecer o rompimento do apêndice.

O principal fator de risco se resume a idade, qualquer um pode desenvolver, mas a apendicite ocorre frequentemente em pessoas de 10 a 30 anos. Entretanto não existem outros fatores considerados de risco.

Um dos sintomas que caracteriza esta enfermidade é a dor abdominal, que pode variar de acordo com a pessoa, sua idade, hábitos e a posição do apêndice inflamado.

O primeiro sinal que a pessoa pode estar com apendicite é uma dor no abdômen, próxima ao umbigo, que começa fraca, mas vai aumentando conforme o tempo.

Com o aumento da inflamação, que pode variar de 12 a 18 horas, a dor costuma ir para uma região acima do apêndice, para baixo e a direita conhecido como ponto de McBurney.

Outros sintomas comuns da enfermidade são: náusea, vômito, pouco apetite e uma febre moderada. Com a piora do quadro começam a surgir: calafrios, constipação, diarreia e tremores, além da piora dos sintomas citados anteriormente.

Nos casos em que o apêndice se rompe, a dor desaparece em um primeiro momento, dando uma falsa sensação de melhora, mas os sintomas começam a se intensificar, principalmente a dor, em momentos que a pessoa se locomove ou tosse.

É necessário procurar um médico (principalmente se os sintomas persistirem por mais de 12 horas) e relatar os sintomas, a intensidade da dor e sua posição.

O diagnóstico é feito através da descrição, do exame físico e de exames laboratoriais (sangue, urina e Raio-X) e em casos específicos, exames adicionais.

Como outras enfermidades também causam dores abdominais, além dos sintomas citados, o diagnostico é dificultado, principalmente pelo intervalo entre as dores no apêndice em si.

O tratamento consiste em uma cirurgia chamada de apendicectomia,onde o apêndice é removido. O órgão não é substituído e a sua retirada não traz complicações futuras para o paciente, já que ele não tem uma utilidade conhecida no corpo.

Quando o apêndice é removido antes do rompimento, A pessoa fica bem logo após a cirurgia, mas quando acontece o rompimento, a recuperação é mais lenta e podem haver complicações, por isso é necessário permanecer no hospital em observação por um período maior.

Quando não tratado, o paciente pode adquirir complicações como: Peritonite, inflamação na cavidade abdominal, o acúmulo de pus no abdômen e conexões anormais entre órgãos abdominais ou entre eles e a pele.

Não existe uma forma especifica de prevenção, já que todos possuem apêndice e ele se inflama de uma maneira natural em alguns organismos, por isso é necessário que ao sentir qualquer dos sintomas citados, ou mudanças no corpo, procure um médico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *