Nova forma de matéria é comprovada e pesquisadores buscam sua função

Uma nova forma de matéria, a excitonium, foi teorizada por um físico americano, chamado Bertrand Halperin, e comprovada depois de cinco décadas, por uma equipe de cientistas da Universidade de Illinois, Estados Unidos. Durante todo esse tempo, muitas evidências da existência dessa matéria foram encontradas, mas nenhuma havia sido aceita. Essa demora deve-se ao fato de que os cientistas não possuíam as técnicas necessárias para a distinção do excitonium sem deixar dúvidas. Halperin, hoje com 76 anos, demonstrou muita felicidade com a confirmação de sua teoria.

Cinco formas diferentes de demonstração foram usadas pela equipe da Universidade de Illinois para comprovar que a exitonium é verdadeira. A matéria é sólida e composta por partículas denominadas éxcitons. As éxcitons são formadas por uma “dupla estranha e improvável, apesar de maravilhosa”, segundo palavras dos próprios cientistas: um elétron (carga negativa) que se excita ou, em outras palavras, se energiza, e passa para outra faixa de energia e lacuna (carga positiva) que ele deixou. O inusitado está nessa interação: o elétron e a lacuna não se anulam, mas se emparelham. Essa lacuna passa a atrair esse elétron que se moveu.

Com essa descoberta, acredita-se que haverá um avanço no conhecimento da mecânica quântica. Porém, sua função ainda é pauta para debate. Ainda não se sabe quais são suas propriedades. Enquanto uns cientistas o descrevam como um material isolante, outros acham que tenha a propriedade de um supercondutor ou de um superfluido, que transporta a energia sem perdas. Um experimento feito, mostrou que os éxcitons podem fazer uma ligação entre a computação eletrônica e a comunicação ótica e, já se falou em um processador excitônico, que se comunica diretamente por luz. Ainda é cedo para dizer quais serão as melhores aplicações da matéria, mas a descoberta da excitonium foi apontada como revolucionária, assim como foi quando descobriram a partícula de Deus, a Bosson de Higgs. Saiba mais aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *