Queda nas vendas de macarrão instantâneo pode dizer alguma coisa sobre a nova sociedade chinesa

Com um preparo simples e fácil de ser encontrado em mercados, o macarrão instantâneo há muito tempo é conhecido como uma das principais comidas chinesas. Em 2013, mais de 46 bilhões de unidades desse tipo de macarrão foram consumidos pela população chinesa e também por Hong Kong. Estudantes consomem macarrão instantâneo na hora do lanche, além de servirem como o almoço para os trabalhadores e como uma refeição rápida em diversas ocasiões e lugares.

Mas somente três anos depois, a venda desse produto teve uma queda de 17% e vendeu cerca de 38,5 bilhões em 2016, segundo a Associação Mundial de Macarrão Instantâneo.

Em outros lugares do mundo, a venda desse tipo de alimento vem mantendo os seus números inalterados, sem contar a Índia, que passou por um recall desse produto e provocou uma queda enorme da venda no país em 2015. O que está acontecendo com a venda de macarrão instantâneo em território chinês é anormal e inesperado.

Algumas das hipóteses para isso estar acontecendo pode indicar de várias maneiras, as diversas mudanças sociais que estão ocorrendo na China.

O macarrão instantâneo é muito fácil de ser preparado, podendo ser acompanhado de alguns vegetais e pedaços de carne. Muitos chineses ainda acham esse prato muito gostoso, mas para outros, esse prato simboliza uma época difícil da vida dos chineses. Essa é uma das razões para a queda das vendas, já que os chineses estão melhorando as suas perspectivas nutricionais.

Outro fator pode ser que um dos principais consumidores do macarrão, os trabalhadores migrantes, que antes viviam longe de casa e consumiam esse alimento inclusive como uma forma de economizar dinheiro, visando enviar maiores somas para casa. O número de migrantes caiu em mais de 1,7 milhão de trabalhadores, que estavam morando em cidades distantes e voltaram para as suas casas em 2016, reduzindo dessa forma o consumo de macarrão instantâneo por esses migrantes.

Outro fator pode ser o aumento do acesso à internet, já que são  cerca de 730 milhões de chineses  que atualmente estão conectados, e 95% deles fazem isso através dos celulares. Um negócio que está em expansão no país é o serviço de pedidos de comida feita pelos aplicativos, que entregam em casa, no trabalho ou em qualquer outro lugar que você preferir. Apesar de serem mais caras que o macarrão instantâneo, essas refeições ainda podem ter um preço bem atrativo e são ainda mais gostosas.

Mas em relação aos outros países, o território chinês ainda é o principal consumidor de macarrão instantâneo do mundo, vendendo três vezes mais unidades do que a Indonésia, que fica em segundo lugar na venda mundial.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *