Dentre as pessoas que experimentam o cigarro, 60,3% se tornam dependentes

Pesquisadores da Universidade Queen Mary, localizada em Londres, revelaram através de um estudo que de cinco pessoas que experimentam o cigarro pela primeira vez, três se tornam dependentes químicos da droga. Mesmo que por um curto período de tempo, essa taxa estabelecida pelos pesquisadores evidência que o hábito de fumar possui uma incidência de três a cada cinco pessoas no mundo.

Publicada pelo jornal periódico chamado de “Nicote & Tobacco Research”, o estudo contou com um levantamento de dados sobre o uso do cigarro e com a participação de pelo menos 215 mil indivíduos que permitiram a coleta de informações para análise.

Os pesquisadores criticaram com o estudo que o tabaco possui um alto fator viciante, podendo causar a dependência em uma alta taxa de três a cada cinco pessoas que fumam pela primeira vez. Além disso, o estudo serve como parâmetro para guiar os órgãos competentes do mundo todo que atuam no combate às drogas, sabendo que as ações para a prevenção desse consumo devem ser intensificadas, principalmente para o público jovem.

O professor e líder do estudo, Peter Hajek, disse sobre os novos dados: “Esta é a primeira vez que documentamos a notável capacidade viciante que os cigarros têm depois de uma única experiência em uma amostragem tão grande”.

Segundo Hajek, outro ponto importante do estudo é a linha entre a experimentação e a prática diária, onde uma taxa muito alta de pessoas passam do lazer de uma única vez para a necessidade compulsiva que é a depência química. “Vimos que a taxa de conversão de ‘fumar pela primeira vez’ para um ‘fumante diário’ é surpreendentemente alta, o que ajuda a confirmar a importância de prevenir a experimentação dos cigarros em primeiro lugar”, ressaltou o professor.

A pesquisa foi realizada a partir de dados coletados pelo “Global Health Data Exchange”, que é um grande banco de dados com censos, levantamentos, estatísticas e muitos outros dados que estão ligados à saúde em todo o mundo. Dentre os dados utilizados pela pesquisa, os pesquisadores utilizaram outros estudos que relacionaram a experimentação da droga com o uso contínuo.

A partir desse filtro de pesquisa, os pesquisadores obtiveram dados coletados por oito tipos de levantamentos realizados nos Estados Unidos, Reino Unido, Nova Zelândia e Austrália. Os dados foram analisados através de uma conversão para a taxa da experiência com a droga e os pesquisadores concluiram que há uma incidência de 60,3% das pessoas que experimentam o cigarro de se tornaram dependentes da droga.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *