Após 10 anos em queda, Brasil atesta crescimento nos casos de hepatite A

As duas maiores cidades brasileiras, São Paulo e Rio de Janeiro, registraram surtos de hepatite A, alavancando os casos registrados da doença no país. Juntas, as cidades somaram mais de 800 casos em 2017, enquanto em 2015 houveram pouco mais de 200 reportados em todo o Brasil. O vírus VHA, causador da doença, provoca inflamação do fígado e pode levar à morte.

A doença, transmitida pelo contato oral com fezes de pacientes, e por isso geralmente adquirida através de água contaminada por esgoto ou também por alimentos mal higienizados, está sendo propagada por causas diferentes nas duas cidades. Enquanto no Rio os casos reportados concentram-se no Vidigal, comunidade da Zona Sul carioca com grande deficiência em infraestrutura sanitária e com casos de pontos de coleta de água contaminados pelo vírus, as infecções observadas na capital paulista estão relacionadas com práticas sexuais desprotegidas que envolvem contato com material fecal, de acordo com a Secretária de Municipal de Saúde.

A inflamação do fígado ocorre quando anticorpos tentam eliminar o vírus da hepatite A, mas acabam atacando células do próprio organismo, comprometendo a correta operação das funções hepáticas. Mesmo assim, a maioria dos casos não possui sintomas graves, assemelhando-se com outras infecções, que causam dor de cabeça, dor no corpo e febre, e evoluem para a cura espontânea. Entretanto, em alguns casos o fígado é gravemente danificado, causando falência do órgão e morte do paciente, caso um transplante de órgão não seja realizado a tempo. Em São Paulo, duas pessoas morreram na fila de transplante de fígado em 2017 em decorrência da hepatite A, enquanto outras duas ainda aguardam pela cirurgia. Já no Rio de Janeiro, não há notificações de complicações severas por conta do vírus.

Para auxiliar na prevenção da hepatite A, sistema de saúde brasileiro disponibiliza a vacina contra o VHA para crianças de até 5 anos, assim como para portadoras de doenças imunossupressoras, como o HIV/AIDS. Para outros grupos, a vacinação pode ser obtida através da rede de saúde privada. Além disso, é importante tomar alguns cuidados, como manter bons hábitos de higiene, limpar corretamente os alimentos que serão consumidos e beber somente água limpa e potável, de procedência garantida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *