Árvores maiores e mais frágeis são resultado do aquecimento global

De acordo com um novo estudo sobre as florestas da Europa Central, o aquecimento global tem contribuído para que as árvores fiquem maiores e mais frágeis. Em geral, as árvores precisam de temperaturas altas para que possam se desenvolver. Com o aquecimento global cada vez mais acentuado, essas e outras plantas têm aproveitado mais dias ensolarados e quentes, o que ocasionou em um maior crescimento estrutural das árvores.

Embora esse fato pareça bastante positivo, o estudo revelou em diversas notícias que o clima mais quente tem contribuído para que as árvores fiquem mais fracas. Isso significa que mesmo com um crescimento mais acentuado, a estrutura das árvores não se fortaleceu, muito pelo contrário, ficou ainda mais frágil. No entanto, o estudo também considerou as práticas agrícolas e a poluição como causadores desse problema de fragilidade na madeira das árvores.

O estudo revelou que com árvores maiores, seria possível afirmar que mais gás carbono seria capturado por elas, o que poderia contribuir fortemente para a redução desse gás na atmosfera. No entanto, o problema de fragilidade na madeira dessas árvores não viabiliza esse fato. Em tese, toda essa relação seria refletida em diversos benefícios para o planeta. Mas na realidade dos fatos, o aquecimento global não será desacelerado somente com essas árvores maiores, pois elas não apresentam densidade suficiente para isso.

Isso porque o estudo mostrou que a densidade da madeira das árvores analisadas mostrou uma redução significativa. Essa piora na densidade foi de 8% para 12% nesta última análise. O resultado é o pior já avaliado pelos pesquisadores, o que indica que as árvores estão cada vez mais frágeis.

Como culpado, o estudo destacou a grande concentração de nitrogênio nos solos da região. Essa alta concentração é o resultado da utilização em massa de fertilizantes agrícolas que degradam o solo de áreas importantes do planeta. No entanto, esse não é o único culpado apontado pelo estudo. De acordo com os dados publicados, a poluição causada pelos veículos também contribui para que a madeira das árvores fique mais fraca.

Outro ponto negativo observado pelo estudo é que a absorção de gás carbônico por parte dessas árvores também diminuiu no período analisado. O estudo apontou uma redução de 50% da absorção desse gás, o que resulta em consequências ainda maiores para o aquecimento global.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *