Saiba quais fatores causam o envelhecimento do cérebro

Um estudo recente, que utilizou como base mais de 62 mil tomografias de 31 mil pacientes diferentes, foi responsável por indicar quais são os fatores que provocam o envelhecimento precoce do cérebro humano. Condições psicológicas e algumas práticas comportamentais, como o consumo excessivo de álcool e maconha, foram alguns dos aspectos levantados.

Feito em parceria entre pesquisadores do Google, da Universidade da Califórnia e da John’s Hopkins University, a expectativa é de que esse estudo seja publicado muito em breve pelo prestigiado periódico médico e científico “Journal of Alzheimer’s Disease”.

Segundo esse estudo, o fator que mais provoca o envelhecimento do cérebro é a esquizofrenia, que causa uma aceleração média de 4 anos, o consumo em excesso de maconha, em cerca de 2,8 anos, transtorno bipolar, em uma média de 1,6 ano, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, em cerca de 1,4 ano, e, por fim, o consumo em excesso de álcool, que causa aceleração de 6 meses.

Apesar dos pesquisadores terem considerado essa hipótese ao longo da fase de pesquisa, o estudo revelou que a depressão não está relacionada ao envelhecimento acelerado do cérebro. Para chegar a essa constatação, foram analisadas mais de 120 regiões do cérebro de milhares de voluntários.

Os indivíduos que fizeram parte desse estudo eram de diferentes faixas etárias, variando desde os 9 até os 105 anos. Com isso, o objetivo da pesquisa era coletar o máximo de informações possíveis sobre envelhecimento cerebral, para assim contribuir para o desenvolvimento ee tratamentos que melhorem e estimulem as funções cognitivas das pessoas doentes e sadias.

De acordo com o autor do estudo, o médico Daniel G. Amen, de agora em diante será mais fácil de constatar as desordens e os comportamentos que causam o envelhecimento cerebral de forma precoce. Consequentemente, a adoção de tratamentos adequados podem fazem com que ocorra uma desaceleração ou até mesmo uma paralisação por completo desse processo.

As descobertas acerca do uso em excesso da maconha como fator de risco também são notícias importantes, tendo em vista a tendência cada vez maior das pessoas em considerarem essa substância praticamente indefesa.

Conheça a história do processo de privatização no Brasil – Com Felipe Montoro Jens

 

O Brasil foi durante muitos anos dependente de inciativas do estado, no entanto, a partir do final dos anos 80, algumas ações para mudar isso começaram a tomar forma. De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), um dos motivos para isso ter acontecido foi a crise da dívida externa, que favoreceu o desenvolvimento da privatização no país. Dessa forma, a privatização pôde suprir demandas de investimentos em setores de infraestrutura, contribuindo para a modernização do país. Conheça mais sobre a história da privatização no Brasil, quem explica é o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.

 

 

 

Durante muito tempo o Brasil foi dependente de empresas estatais, essa dependência só diminuiu devido à crise de dívida externa, com isso, a privatização passou a ser considerada com o intuito de suprir às necessidades de demanda em projetos de infraestrutura, reporta Felipe Montoro Jens em seu site.

 

 

 

Graças ao Programa Nacional de Desestatização, aprovado em 1990, o governo pôde iniciar reformas econômicas que tinham como objetivo a privatização de empresas dos setores aeronáutico, petroquímico e siderúrgico.

 

Felipe Montoro Jens reporta estudo da CNI sobre obras paradas no Brasil

 

Esse movimento de privatização contribuiu para o surgimento da 1ª área de infraestrutura privatizada, o setor de telecomunicações, considerado o processo de privatização mais bem-sucedido no país. Felipe Montoro Jens ressalta que por meio da Lei Geral de Telecomunicações, aprovada em 1997, o estado passou apenas a regulamentar esse setor, e não mais a ser o responsável pelo fornecimento do serviço. Para regular esse segmento foi criada a Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), salienta Felipe Montoro Jens.

 

 

 

Um outro fator importante para o desenvolvimento da privatização no país, foi a aprovação da Lei das Parcerias Público-Privadas (PPPs), em 2004, explica Felipe Montoro Jens. Por meio dessas parcerias, a iniciativa privada pôde contribuir para diminuir o déficit em investimentos em áreas de infraestrutura, como na educação, no desenvolvimento urbano e no setor de saúde.

Museus no Reino Unido fazem homenagens no centenário das sufragistas

Em 2018, completa-se cem anos desde que foi instaurado o “Representation of the People Act”, uma emenda na legislação da Inglaterra que garantiu que as mulheres tivessem o direito votar. Para a comemoração desse centenário, o Reino Unido tem organizado e patrocinado eventos e exposições em sete cidades, Manchester, Londres, Bristol, Leicester, Leeds, Nottingham e Bolton, as quais tiveram uma relação direta com o movimento sufragista do início do século XX.

O movimento sufragista da Inglaterra possui uma relevância enorme para o feminismo e a cultura popular, já tendo sido representado várias vezes no cinema e na televisão. A representação mais recente aconteceu em 2016, no filme “As Sufragistas”, estrelado pela ganhadora do Oscar, Meryl Streep.

Segundo as notícias, na cidade de Manchester, que é onde surgiram as primeiras iniciativas do movimento sufragista, foram programados três eventos de grande porte. O primeiro aconteceu no mês de março e foi chamado de “Wonder Woman 2018”, o qual contou com debates, exibições e apresentações artísticas sobre o tema em vários pontos da cidade.

Um dos grandes destaques desse evento foi a exposição “She Bangs The Drums”, que ficou exposta no Museu da Ciência e Indústria de Manchester. Durante essa exibição, os visitantes tiveram a chance de assistir a uma performance de teatro que recriou com maestria a história das mulheres que revolucionaram a democracia da Inglaterra no início do século passado.

Além disso, o People’s History Museum, também na cidade de Manchester, colocou em exibição desde o início de junho uma coleção de artigos históricos que foram usados pelas sufragistas no ano de 1908, que incluem broches, banners e cartoons. Por outro lado, a casa Pankhurst Centre, que é onde ficava a residência da líder do movimento sufragista britânico, Emmeline Pankhurst, está promovendo vários eventos e workshops em comemoração ao centenário.

Na capital Londres, por sua vez, o Museum of London manterá em exibição até fevereiro de 2019 a exposição “Votes for Woman“, a qual é formada por várias atividades interativas com foco no público de todas as idades, incluindo jogos, banners, workshops e conteúdo histórico sobre a origem do movimento e como ele foi importante para a sociedade britânica.

Guilherme Paulus participará do Fórum Conectivdade – Hub Negócios

Guilherme Paulus — uma das personalidades mais importantes do Turismo brasileiro — participará do evento denominado Fórum Conectividade – Hub Negócios, que foi criado e organizado pelas empresas: Mercado & Eventos e Promo Marketing Inteligente.

Elas se uniram para trazer temas pertinentes ao crescimento e o futuro da indústria da aviação comercial brasileira e da América Latina, principalmente, tendo em vista que a conectividade aérea é a maior responsável pelo desenvolvimento do turismo. Sem dúvidas ela é considerada essencial para o crescimento da economia de um país.

O evento contará com debates e palestras e terá a participação de 300 profissionais. Sua principal finalidade é promover mesas-redondas para que os líderes e empreendedores do Turismo do Brasil — entre eles, Guilherme Paulus —, possam palestrar e debater as melhores práticas para o desenvolvimento desse segmento.

A organização do evento já possui sua grade de painéis programada para, assim, poder abordar os principais assuntos que envolvam a conectividade aérea. O evento contará com quatro horas e desenvolverá conteúdos, como Formação e Hub, Desenvolvimento de Rotas, Aeroportos, Políticas Públicas, entre outros.

O evento terá o patrocínio de Foz do Iguaçu, Ceará, Espírito Santo, CVC, FBHA, Localiza, Inframerica, CNC, VINCI Airports, Shift, Renaissance e Ministério do Turismo.

O Fórum Conectividade – Hub de Negócios acontecerá em São Paulo no dia 26 de novembro, no Teatro Renaissance, a partir das 13:30 hs, com inscrições gratuitas.

Sobre Guilherme Paulus

Paulus, que atua no Turismo do Brasil há cerca de 50 anos, foi o fundador da CVC Turismo em 1972, em Santo André. O negócio foi feito, na época, em sociedade com Carlos Vicente Cerchiari e ambos a transformaram no império que é hoje, principalmente, pelo empreendedorismo e visão inovadora.

A CVC foi vendida em 2009 ao Carlyle Group — ocasião em que Guilherme Paulus passou a contar com um suporte de um fundo global de investimentos — que foi fundamental para o crescimento ainda maior da empresa em questão. Contudo, ele ainda é dono de cotas e faz parte do Conselho da empresa — que fatura R$ 5,2 bilhões anuais.

O visionário Guilherme Paulus, atualmente, faz parte do Conselho da CVC Corp — como já mencionamos neste artigo — e é presidente da GJP Hotels e Resorts, que conta com hotéis luxuosos na Serra Gaúcha, entre outros locais. No momento, segue com o projeto do luxuoso hotel em São Paulo, na Avenida Cidade Jardim, que só terá a surpreender com o luxo e sofisticação.

Vale ressaltar que o empresário foi escolhido pela Revista Isto É, em 2017, como o “Empreendedor do Ano” do setor de serviços. A publicação considerou sua atuação de grande destaque no cenário turístico brasileiro.

Evento premia práticas voltadas ao incentivo da mentalidade empreendedora em jovens

A educação como base para práticas de empreendedorismo é tema de uma nova premiação concedida pelo Sebra. Trata-se do “Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora”. Com isso, a instituição tem por objetivo reconhecer, incentivar e propagar as práticas mais eficientes do segmento educacional no tocante ao mundo dos negócios.

Realizada no dia 06 de novembro de 2018, a cerimônia de premiação contou com a adoção de quatro diferentes modalidades de ensino, que contemplam desde o nível fundamental até o superior. Desse modo, a homenagem é destinada a diversos tipos de profissionais, tais como secretários de pastas municipais, diretores, professores, coordenadores, etc.

Embora esta seja a primeira edição da premiação, ela integra um evento que já ocorre há 11 anos, a Semana Global do Empreendedorismo, que abordou recentemente a questão da importância dos jovens enquanto empreendedores. Para Heloísa Menezes, responsável pela direção da área técnica do Sebrae, tais eventos visam valorizar quem se empenha em educar o jovem para posições de liderança por meio da consciência social.

A executiva também pontuou que a instituição tem se esmerado para que esse tipo de prática seja ainda mais difundida em todos os anos da formação acadêmica do jovem. Segundo ela, é necessário que se inclua conceitos de negócios na base curricular presente no país, uma vez que isso pode gerar comportamentos mais engajados por parte dos alunos.

A diretora do Sebrae salienta que o prêmio surge como uma oportunidade de tornar evidente aqueles agentes da educação que conseguem inovar ao transmitirem conhecimentos sobre empreendedorismo aos alunos. Assim sendo, isso contribuiria para a popularização de conceitos dessa natureza dentro das salas de aula.

Vale ressaltar que nesta primeira edição três fases foram empregadas para se avaliar quais seriam os finalistas ao prêmio. A primeira delas, contudo, era de abrangência estadual, onde cada modalidade contou com a escolha dos cinco melhores profissionais.

A organização do prêmio fez a entrega de troféus e medalhas para os que se sobressaíram perante os demais participantes. Alguns dos inscritos também terão a chance de integrar uma espécie de comissão que atuará em um trabalho de âmbito nacional, bem como a oportunidade de expor trabalhos em outros eventos de relevância para o empreendedorismo.

Saiba mais:

https://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2018/11/sebrae-lanca-premio-nacional-de-educacao-empreendedora.html

Flavio Maluf, Presidente Executivo do Grupo Eucatex

 

Flavio Maluf é formado pela Fundação Armando AlvaresPenteado, com especialização em engenharia mecânica. Ele também estudou na Universidade de Nova York, onde se formou em administração de empresas, e é aí que ele adquiriu suas habilidades de gestão e adotou uma abordagem modernizada de liderança.

 

Apesar de ter vindo de uma família rica, Flavio Maluf conseguiu chegar ao sucesso e construir seu próprio império. Ele nasceu em uma família rica e política. Seu pai é um político bem reputado e um homem rico. Flavio é atualmente o presidente da Grand Food e também herdou sua empresa familiar, assumindo o papel de liderança, desde 1997. Saiba mais sobre Flavio Maluf na InfoMoney

 

Flavio Maluf também atua como presidente executivo da Eucatex, que é uma empresa de processamento de madeira que usa eucalipto para fabricar chapas e folhas macias, que são usadas principalmente na indústria da construção. Flavio começou a trabalhar na empresa em 1987, onde ocupou vários cargos de liderança.

 

Ele trabalhou no departamento de mais tarde e mais tarde foi promovido para o departamento de mecânica e, finalmente, tornou-se o presidente, cortesia de suas grandes habilidades gerenciais e dedicação. Em 2010, sob sua gestão, a empresa iniciou uma outra empresa de produção localizada em Saltos, uma vez que visava aumentar o volume de sua produção.

 

A Eucatex Company produz principalmente verniz de madeira, tintas, divisórias de paredes e casas, portas, pisos, painéis, todos os tipos de plásticos e também isolamentos. Que são ambientes amigáveis, fáceis de usar e com ótimos preços.

 

A empresa está em operação há mais de 50 anos e vem exportando seus produtos para outros países, e conta com mais de 2.500 empregadores, o que faz com que tenha o maior número de empregadores no Brasil.

 

A empresa faturou R $ 318 milhões, gerando um lucro líquido de R $ 18,6 milhões, a partir de 2017. É realizada a aquisição da Botucatu, a Ducatex de São Paulo, que é uma fabricante popular de painéis de construção. As duas empresas concordaram em começar a compartilhar ativos em janeiro de 2018. Os ativos da Ducatex que foram adquiridos pela Uecatex valem R $ 60 milhões.

 

Oportunidade agro: Flavio Maluf reporta alguns dos principais eventos do setor ainda para este ano

Entendendo a Definição de Empreendedorismo

De acordo com intelectuais, notícias e especialistas em negócios, a definição de empreendedorismo é simplesmente a combinação de ideias, trabalho árduo e adaptação ao mercado de negócios em mudança. Uma definição de empreendedor relacionado é que isso também implica atender às demandas do mercado, gerenciamento.

Definição empreendedora : uma pessoa que pode ter uma ideia ou uma inovação e criar um produto ou serviço que seja procurado pelo público em geral, pelo governo ou até pelos militares.

Os empreendedores têm uma habilidade incomum para avaliar oportunidades de negócios . Eles podem imaginar além do que existe atualmente e criar uma visão para que isso aconteça.

A definição de um empreendedor nem sempre é alguém que inicia um negócio. O empreendedorismo também pode ocorrer dentro de grandes organizações, aplicando os conceitos de inovação ao próprio trabalho. Esse significado de empreendedorismo está se tornando mais comum à medida que mais organizações adotam novos métodos de produtividade.

Por exemplo, a definição de empreendedorismo de um gerente de recursos humanos pode significar engajar-se em práticas exclusivas que melhoram a produtividade da equipe da empresa.

A definição de empreendedorismo também pode ir além do mundo corporativo. Um professor de dança de uma universidade pode definir empreendedorismo como criar aulas nas quais os alunos exploram a dança como uma indústria e não apenas como uma forma de arte.

Uma definição de empreendedor social pode ser aquela que aplica conceitos de inovação para criar melhorias em sua comunidade ou para a sociedade como um todo.

Mesmo os políticos podem ser empreendedores em sua abordagem para resolver problemas por meio de programas não tradicionais e novas tentativas de melhorar o bem-estar dos outros.

Como você pode ver, existem muitas interpretações e definições de empreendedorismo. Mais importante ainda, descreve a diretiva chave de qualquer negócio: inovação.

A inovação é, de longe, o principal fator que governa a própria criação de uma pequena empresa ou empreendedorismo. Inovações podem ser serviços, produtos e até processos.

Serviço: qualquer tipo de serviço que você fornece a alguém por um preço fixo ou tempo e materiais.

Produto: um item físico ou virtual que uma empresa ou consumidor pode comprar para resolver uma necessidade ou desejo que eles tenham.

Processo: uma nova maneira de fazer algo mais eficiente ou melhora a produtividade.

Empreendedorismo: o que é a definição moderna de empreendedor?

Empreendedorismo: o que é a definição moderna de empreendedor? O empreendedorismo é uma atividade vital para provocar mudanças na economia e na sociedade, não apenas em um país, mas também no mundo.

Causa a iniciação de todos os tipos de atividades humanas na sociedade.

O empreendedorismo é essa imensa força e espírito da humanidade que possibilitou as grandes descobertas geográficas do mundo.

São as forças impressionantes do homem que endividaram nossa civilização com variedades de produtos, entre tecnologias e pensamentos inovadores.

Afeta todos os aspectos do ambiente político-legal, sociocultural, tecnológico, econômico e demográfico da vida e da sociedade. O empreendedorismo é a força pioneira que conecta as sociedades do mundo com sua atividade de troca do período inicial de nossa história humana.

É uma força básica das organizações empresariais também. A provocação da mudança para a prosperidade futura dos negócios é o resultado do zelo empreendedor das pessoas. Portanto, o empreendedorismo é uma disciplina básica para aprender para o estudante de negócios.

O termo empreendedorismo é derivado de uma palavra francesa ‘Entreprendre’, que significa ’empreender’, ‘buscar oportunidades’ ou ‘satisfazer necessidades e desejos através da inovação e de empresas estreladas’. A palavra apareceu pela primeira vez no dicionário francês em 1723.

Acredita-se que o Irish Banker operando na França, Ricardo Cantillon (Kent, 1984) foi a primeira pessoa que usou a palavra ‘entreprendre’ em economia como “um agente que reúne materiais / insumos para produzir bens a um preço específico e por meio de coordenação desses insumos produz bens cujo preço de venda é incerto em comparação com o custo de produção ”.

Acredita-se também que o francês JB Say (1824) usou pela primeira vez o termo “empreendedor” como um agente econômico que reuniu os fatores de produção de tal forma que novas riquezas possam ser criadas.

O dicionário Oxford English adotou a palavra ‘entreprendre’ como “empreendedor” em 1897 e significava;

“Diretor ou gerente de uma instituição musical pública; aquele que se anima, especialmente a performance musical ”.

Terceiro Novo Dicionário Internacional de Webster (1961) toma como;

‘um organizador de um empreendimento econômico, especialmente aquele que organiza, possui, administra e assume o risco de um negócio’.