“Bafômetro” para detectar o câncer? Cambridge acredita que sim!

Um aparelho similar ao “bafômetro” conhecido pelos motoristas pode ser o responsável pela próxima grande inovação na área do combate ao câncer. Ele seria capaz de permanentemente alterar a maneira como pensamos a detecção precoce da doença.

Trata-se de uma tecnologia em fase de testes na Universidade de Cambridge, pela equipe do instituto Cancer Research UK, a qual elegeu a pesquisa nesta área como uma das suas prioridades máximas; a ideia é estudar mais de 1,500 amostras para se provar a eficácia do dispositivo. Entre os pacientes a participarem dos testes estão portadores da doença, portadores de enfermidades relacionadas, além de pessoas saudáveis – estas últimas como parte de um grupo de controle.

A grande promessa do novo equipamento é detectar rastros químicos característicos da doença na respiração do paciente (ideia essa já pesquisada pela ciência há algum tempo, e apenas agora sendo levada às últimas consequências na área do câncer). Os testes são promissores, uma vez que tal tecnologia seria capaz de facilitar em grande medida os esforços da comunidade médica de detecção precoce de um ou mais tipos de câncer de modo sem precedentes caso a mesma possa se provar eficaz. Ela terá de cumprir requisitos rigorosos para atingir um público massivo com baixa chance de imprecisão nos resultados.

Enquanto os testes iniciais estão sendo realizados em pacientes com suspeitas de câncer no estômago e esôfago, diversos outras manifestações cancerígenas, como na bexiga e nos rins, também terão sua vez na pesquisa do novo método de avaliação. Infelizmente, não há certeza, por ora, de quando – ou mesmo se – teremos notícias do “bafômetro” tornando-se uma ferramenta disponível aos clínicos-gerais ao redor do globo. Para que aconteça, os testes precisarão se mostrar bem-sucedidos no longo prazo. Este tipo de pesquisa é passível de durar anos antes que seus frutos comecem a aparecer; os resultados, porém, têm a capacidade a ser mais permanentes ainda.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *