Ouvir death metal não estimula a violência e ainda proporciona prazer

Um estudo publicado pelo “Open Science” revelou que o death metal, um estilo musical que quase sempre possui letras macabras, não estimula a violência e nem mesmo torna os fãs desse estilo pessoas insensíveis a cenas violentas. Diferente do que muitas pessoas julgam, ouvir death metal não torna ninguém violento, insensível a violência, canibal ou qualquer outra coisa que se possa pensar sobre isso.

O professor Bill Thompson da Universidade Macquarie, localizada em Sidney, na Austrália, ainda brincou sobre o assunto: “Os fãs desse estilo musical são boas pessoas. Eles não causaram nenhum ferimento ou mataram pessoas apenas por ouvir death metal”.

As notícias que falam sobre o estudo afirmam que a pesquisa feita por Thompson e os demais pesquisadores está em desenvolvimento há décadas. Segundo os pesquisadores, esse estudo teve como objetivo descobrir os efeitos emocionais causados pelos diferentes estilos musicais nas pessoas. Embora quase sempre o estilo musical seja comparado ao estado emocional das pessoas, Thompson pondera dizendo que esta associação é bastante complexa.

“A maioria das pessoas gosta de ouvir músicas triste, mas isso é um tipo de paradoxo, pois quem desejaria ficar triste?”, questiona Thompson. “Essa mesma lógica também pode ser observada em músicas que levam temas violentos e agressivos, pois ninguém quer se tornar uma pessoa violenta. Por isso, ao afirmar que o estilo musical é o reflexo do estado emocional nós lidamos com um paradoxo psicológico. É por isso que nós cientistas temos tanto interesse em saber o porquê da violência ser um tema tão importante socialmente nas mídias, incluindo as músicas que tratam deste assunto”, disse Thompson.

Para realizar o estudo, os pesquisadores contaram com um experimento psicológico onde utilizaram vários testes para identificar as respostas dadas pelos participantes de forma subconsciente. Nesse caso, os pesquisadores contaram com a presença de 32 participantes fãs de death metal e outras 48 pessoas que não ouviam esse estilo musical, mas que foram submetidas a essas músicas enquanto viam imagens desagradáveis.

O experimento tinha como objetivo descobrir o nível da observação do cérebro dos participantes em relação as cenas de violência. Além disso, eles queriam saber a sensibilidade que isso causava em comparação com a trilha sonora que eles ouviam em conjunto com as cenas.

Além do death metal, os pesquisadores utilizaram outras músicas para medir essa sensibilidade de acordo com os estilos musicais, dentre as músicas escolhidas estava a Harry, de Pharrel Williams. Os resultados foram claros, além de não estimular a violência, ouvir death metal proporcionou prazer para os participantes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *