Empresa fundada por Guilherme Paulus realiza a compra de companhias argentinas de turismo

Em setembro de 2018, a operadora CVC Turismo anunciou que acabara de formalizar a aquisição de outras duas organizações de nacionalidade argentina. Nos dois casos, entretanto, a compra foi de 60% de cada uma das empresas. Assim sendo, o empresário Guilherme Paulus esteve presente durante as transações, que movimentaram cerca de 14 milhões de dólares, em relação à Ola Transatlántica e mais de 5 milhões de dólares no que diz respeito à Biblos.

A situação econômica presente na Argentina foi, segundo Luiz Falco, que preside a CVC, uma circunstância que viabilizou a concretização das aquisições. Conforme explicou o executivo, a diretoria do grupo há tempos planejava comprar as companhias em questão. Em uma entrevista ao Valor Econômico, Falco afirmou que desde os primeiros meses de 2018 o assunto era pauta constante nas reuniões da CVC.

O empresário Guilherme Paulus explica que o fato da CVC ter conseguido comprar as empresas argentinas é algo que acrescenta valor ao grupo. Na ocasião das transações o executivo já respondia pela presidência do Conselho Administrativo e pontuou que a companhia passou a ter caráter internacional. Luiz Falco, por sua vez, salientou a informação de que no balanço financeiro da empresa brasileira já constariam as duas aquisições.

Após o aumento do patrimônio da CVC Turismo, fruto das compras em questão, Falco assinala que o retorno financeiro poderá atingir 17 bilhões de reais. Embora o segmento turístico possa sofrer consequências relacionadas à crise econômica enfrentada pela Argentina, o executivo da companhia acredita no caráter passageiro desse efeito. Vale ressaltar que o dinheiro argentino foi desvalorizado em 40% do seu valor, mas em relação ao setor de viagens o impacto não foi maciço, explica Falco.

O turismo voltado aos brasileiros tem sido praticado de forma mais barata. Foi o que afirmou Falco, ao explicar que esses turistas poderão encontrar preços até 50% mais em conta do que os habituais. Além disso, os cidadãos argentinos que se dispõem a viajar também se mostram beneficiados, uma vez que costumam atuar com dólares, ao invés de pesos argentinos, algo que seria mais rentável para o setor.

A companhia que teve como fundador o empresário Guilherme Paulus precisava, conforme esclareceu Falco, adquirir mais de uma empresa em solo argentino. Essa demanda seria necessária para que houvesse equilíbrio entre as estruturas da companhia no Brasil e na Argentina. Mesmo que o anseio por internacionalizar a CVC fosse antigo, a concretização dependeu da chegada das condições econômicas mais propícias para se fechar negócio, comentou o executivo.

Conforme veiculado pela revista Valor Econômico, os membros da diretoria da CVC têm a expectativa de que a companhia fique entre as três maiores da Argentina. Em razão da Ola Transatlántica e da Biblos, Falco espera que o volume anual de vendas chegue a ultrapassar o montante de 500 milhões de dólares, considerando-se todas as unidades da empresa.

Em relação ao turismo praticado por brasileiros, Falco destaca que a CVC terá maiores condições de oferecer preços melhores a esses turistas. O executivo vê no aumento da companhia, cujo Conselho Administrativo é presidido por Guilherme Paulus, uma maneira de apoiar companhias aéreas que atuam no Brasil e na Argentina. Ele também espera que um volume cada vez maior de pessoas possa desfrutar do que oferece o turismo em território argentino, sobretudo no que diz respeito aos viajantes de nacionalidade brasileira.

Guilherme Paulus: o guru brasileiro do mundo das viagens e do turismo

Guilherme Paulus é um bilionário brasileiro que foi classificado na lista de bilionários da Forbes. Paulus estagiou na IBM antes de completar 20 anos. Apenas alguns anos depois, Guilherme Paulus realizou seu sonho de abrir seu próprio negócio no Brasil oferecendo aos clientes tours.

Sua visão era oferecer viagens e serviços sem preocupações, que logo lhe renderam a capacidade de abrir mais lojas em todo o Brasil. Com foco em serviço e experiências sem preocupações, Paulus construiu um império que possui mais de 3.000 quartos em todo o Brasil e milhares de funcionários.

Paulus e seu sócio que era um político brasileiro, abriram a CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. Construir um negócio no Brasil foi desafiador devido à variedade de permissões e várias restrições, mas eles trabalharam com os desafios e puderam iniciar negócios.

Aproveitando as oportunidades do setor de turismo no Brasil, oferecendo excelente serviço ao cliente e focando no crescimento de seus negócios, Guilherme Paulus deixou de abrir uma única loja em 1972 para se tornar a maior operadora de turismo da América Latina.

A empresa expandiu-se a cada ano sob a orientação de Paulus devido à atenção dada ao fornecimento do melhor serviço, acomodações, restaurantes e locais. A empresa de Paulus tem três marcas para atrair os viajantes de luxo, aqueles que buscam preços moderados e atendem àqueles que têm orçamento limitado.

Em 2005, o empresário Paulus fundou a GJP Hotels and Resorts, controlando mais de uma dezena de hotéis e resorts em todo o Brasil.

A GJP oferece lances a fim de manter e construir seus próprios hotéis perto de aeroportos em todo o Brasil para aumentar seu alcance e lucros com grandes expectativas para os visitantes do país na Copa do Mundo de Futebol e nas Olimpíadas de verão.

Perto do final de 2009, o grupo Carlyle comprou quase uma participação de 64% na CVC por aproximadamente US $ 420 milhões.

Guilherme Paulus: um empreendedor otimista que conhece o valor de agir

Como vendedor, Guilherme Paulus acredita que um dos melhores livros que qualquer vendedor poderia ler é “O Maior Vendedor do Mundo”. O livro foi escrito por Og Mandino e Paulus admite que aprendeu muito sobre vendas ao ler o livro. Ele agora planeja sua semana antes do tempo e usou outros métodos mencionados no livro para ser um vendedor melhor.

O executivo Paulus não gosta de deixar uma ideia sentada no gravador por muito tempo. Ele acredita que a melhor coisa a fazer com uma ideia é implementá-la e ver o que acontece. Muitos empresários têm medo de arriscar, mas ele sempre foi um homem de ação.

Paulus sente que há sempre um elemento de fé envolvido em avançar com uma idéia, e é óbvio que sua filosofia é boa com base no resultado de seus muitos empreendimentos de sucesso.

Quando se trata de se concentrar em sua empresa, ele sempre foi um homem para se envolver em vários mercados. Com CVC e GJP, isso significa que ele trabalhou para fornecer serviços para viajantes internacionais, bem como para viajantes domésticos.

Um pouco sobre Guilherme Paulus e os planos do empresário para o futuro

Tornar-se um empreendedor é algo que uma alta porcentagem de brasileiros faz a cada ano, a despeito da natureza difícil de construir um negócio no país. Pesquisas afirmam que um em cada quatro adultos brasileiros tentou construir o seu próprio negócio em uma nação que não é considerada útil para a causa do empreendedor.

Guilherme Paulus, no entanto, resistiu fortemente a essa tendência, fundando a sua própria agência de viagens em 1974 e construindo uma série de negócios de sucesso nas últimas quatro décadas.

Em 2005, o empresário Paulus tomou outra ótima e grande decisão: a de investir mais de 600 milhões de dólares em sua cadeia de hotéis, a GJP Hotels & Resorts, que permanece sediada no Brasil.

O líder da cadeia de agências de viagens CVC teve a oportunidade de explorar diferentes mercados globais, mas acredita que o apoio dado a ele por seus amigos, familiares e colegas deve ser recompensado com a construção de uma cadeia de hotéis brasileiros de sucesso.

Construir e manter relacionamentos dentro do setor turístico é uma parte muito importante do trabalho do empresário Paulus. A crença por trás da manutenção de vários relacionamentos é que trabalhar de perto com qualquer grupo trará resultados no final e trará sucesso a Paulus e, consequentemente, também as suas empresas.

Durante a sua carreira na CVC, Guilherme Paulus acredita ter criado mais de 30 mil parcerias com companhias aéreas, operadoras de cruzeiros, hoteleiros e muitos outros especialistas dentro desse setor.

O desenvolvimento de várias relações dentro do setor de turismo é suficientemente fundamentado para o sucesso na vida de Guilherme Paulus, mas seu trabalho de retribuir à comunidade é ainda mais impressionante.

Como um empreendedor de sucesso, Paulus acredita que é a sua responsabilidade de garantir que as comunidades em que o seu império está localizado tenham a oportunidade de alcançar o sucesso.

Entre os programas criados por Guilherme Paulus estão o programa PIET, que permite aos jovens a oportunidade de explorar a indústria do turismo e a treinar para um possível sucesso futuro.

Planos para o futuro de Paulus

Para os próximos dois anos, o empresário Guilherme de Jesus Paulus pretende abrir uma nova bandeira de hotéis de luxo, e deve começar o projeto no estado de São Paulo.

Até o momento, Paulus ainda não informou à imprensa qual será o nome da nova bandeira, no entanto já se sabe, sim, que a intenção é criar uma nova marca do grupo GJP Hotels & Resorts que irá contemplar o estado de São Paulo e também o estado do Rio de Janeiro, como já ocorre com os luxuosos hotéis Emiliano.

A primeira unidade do luxuoso hotel que será aberto por Guilherme Paulus ficará localizado em um edifício icônico de São Paulo, na avenida Cidade Jardim, e deve ser entregue entre os anos de 2020 e de 2021.

A previsão é que o hotel que está sendo planejado pela GJP Hotels & Resorts possua em sua estrutura 65 apartamentos, além de um rooftop, de um espaço para eventos e de um restaurante.

Atualmente, os principais hotéis de luxo da GJP Hotels & Resorts podem ser encontrados na região de serra do estado do Rio Grande do Sul: eles são o Saint Andrews Gramado e o Wish Serrano Resort. Outras marcas do grupo também bastante conhecidas são a Prodigy e a Linx.

 

Novo empreendimento de Guilherme Paulus, em SP, será um hotel butique

Com o anúncio de um novo “hotel butique”, Guilherme Paulus está dando o que falar. Se é certo que, no segmento hoteleiro, ele certamente vira assunto, dados os atuais empreendimentos do seu grupo GJP, eis que será então, desta vez, manchete de jornal, com seu novo hotel de luxo, localizado na avenida Cidade Jardim, em São Paulo capital. Com essa ideia mais singular posta em prática, sendo que está prevista para ser lançada, provavelmente, entre os anos de 2020 e 2021, esse empresário, que é, além de dono do referido grupo referência em hotéis, também um dos maiores acionistas da igualmente célebre operadora de turismo CVC, acrescentará mais um marco à sua carreira: a criação de uma nova bandeira, uma nova marca de hotéis de luxo.

Ao que tudo indica, é essa a pretensão de Guilherme Paulus, com o tal “hotel butique”. E espera-se, com essa iniciativa de uma nova bandeira além das quatro já criadas pelo grupo (Wish, Prodigy, Linx e Saint Andrews), que siga-se a mesma tendência dos hotéis Emiliano, estes também de luxo. Afinal, seguindo essa referida linha, a bandeira recém-inaugurada viria a se estender pelo menos ao Rio de Janeiro, não limitando-se apenas ao Estado de São Paulo. Mas enquanto o mistério da bandeira escolhida não é resolvido, fiquemos com o que já foi divulgado e afirmado pelo próprio empresário Guilherme Paulus: o hóspede do hotel butique terá 65 apartamentos à sua disposição de escolher um deles. E se a fome bater, o que provavelmente ocorrerá, ele terá acesso a um formidável restaurante, contendo ainda, como bônus, um espaço para eventos. No mais, vale pontuar que o hotel possuirá rooftop também.

Outra questão que precisamos tratar é a da localização específica desse novo hotel de tipo butique, a qual já está, desde agora, precisamente definida, visto que Guilherme Paulus antecipou-se em comprar o imóvel para a realização desse empreendimento. Trata-se, portanto, de um conhecido prédio na avenida Cidade Jardim, como já dito, porém, mais especificamente, onde ficava a agência de publicidade de nome DPZ, tempos antes.

Contudo, como a entrega desse novo hotel de nova bandeira, ao que tudo indica, demorará cerca de dois a três anos para ocorrer, o leitor que quiser conhecer, desde aqui, a excelência dos serviços prestados pela GJP Hotels e Resorts, na qual Guilherme Paulus é presidente, tem à sua disposição, por enquanto, doze opções para hospedagem. Sim, dando tudo certo, o hotel butique será o décimo terceiro empreendimento do empresário nesse segmento mercadológico.

Podemos sugerir duas opções dentre esse total de doze, ambas situadas na mesma região: a Serra Gaúcha. Todavia, apesar de situarem-se os dois, inclusive, na cidade de Gramado, o Saint Andrews Gramado e o Wish Serrano Resort possuem diferenças notórias entre si: o primeiro, em forma de castelo, situa-se dentro de um condomínio particular, bem no centro da referida cidade, dispondo de 19 suítes, ao todo; o segundo, que é um resort, por sua vez, encontra-se às margens da célebre Avenida das Hortênsias, e oferece mais de 200 apartamentos para os seus hóspedes.